Notícias

7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas

Data de inclusão: 09/08/2018 13:47

O município de Corupá é sede, até esta sexta-feira (10), do 7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas – que acontece no Seminário Sagrado Coração de Jesus. A abertura do evento aconteceu na quarta-feira (8) e contou com a presença dos prefeitos Magno Bollmann (São Bento do Sul), João Carlos Gottardi (Corupá), Antidio Lunelli (Jaraguá do Sul), Osvaldo Jurck (Schroeder).
Participam do evento, pesquisadores do Brasil e de instituições e universidades de Portugal, França, Alemanha, México, Costa Rica e Ilhas Canárias. O workshop também marca a finalização do processo de Indicação Geográfica de Banana Mais Doce do Brasil da região de Corupá, Jaraguá do Sul, Schroeder e São Bento do Sul. 

O registro de Indicação Geográfica (IG) é conferido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de distingui-los em relação aos seus similares disponíveis no mercado. São produtos que apresentam uma qualidade única em função de recursos naturais como solo, vegetação, clima e saber fazer. O Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) é a instituição que concede o registro e emite o certificado. Já o Ministério da Agricultura (Mapa) é uma das instâncias de fomento das atividades e ações para Indicação Geográfica (IG) de produtos agropecuários.

Em seu discurso, o prefeito Magno falou sobre a importância de novas experiências e novos momentos, e que não se trata apenas de preço de banana, pejorativamente falando, é realmente valorizar o nosso cultivo da bananicultura. “A agregação de valor, a produção de subprodutos da banana, produtos que ainda precisamos trabalhar mais. E nesse sistema organizado, temos muito mais chances de comercializar bem o nosso produto”, comentou o prefeito.

Magno comparou ainda, que assim como aqui, na Europa o ambiente também é muito importante para o cultivo da fruta. “Existem unidades de coleta das embalagens de agrotóxicos, o que nós também já temos aqui, na região de Mafra, onde mais de 45 municípios remetem suas embalagens para serem encaminhadas a reciclagem, evitando que sejam jogadas fora e parem em rios”, completou. 

Também participaram do evento, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de São Bento do Sul, Adelino Denk e demais representantes dos departamentos de Meio Ambiente e Turismo.

Mais doce

O grande diferencial da banana da região de Corupá é o sabor da fruta, que é mais doce do que as demais produzidas em outras regiões do País. O sabor se deve à combinação de clima, relevo e temperatura da região. Com um tempo maior para se desenvolver e amadurecer, a fruta acaba acumulando mais minerais e açúcares tornando a banana região de Corupá muito mais doce.
Segundo o pesquisador Miguel Luciano da Silva, a atuação da Rede de Cooperação de Desenvolvimento Sustentável - organização composta de representantes de entidades governamentais e não-governamentais – é de levantar e valorizar os produtos tracionais de Santa Catarina afim de gerar desenvolvimento para as regiões de onde são produzidos e também evitar o êxodo rural.

Valorização e conservação

O professor e pesquisador da Universidade Autônoma Metropolitana do México Ignácio Lopez Morena destaca a importância para a região de Corupá ter uma certificação de banana mais doce do Brasil é uma forma de valorizar o modelo de agricultura familiar aplicado em SC que é um diferencial não só para o Brasil, mas para muitos países do mundo em que a agricultura é baseada em grandes latifúndios.
A diretora executiva da Qualifica Portugal Ana Soeiro comentou que a partir da conquista do IG de Banana mais doce do Brasil pela região de Corupá, devem ser criadas condições para que este diferencial possa ser aproveitado para a comercialização da fruta com reconhecimento de mercado, inclusive para a exportação.  

Visita à Prefeitura

Na tarde de terça-feira (7), o prefeito Magno Bollmann recebeu em seu gabinete a visita do professor e pesquisador da Universidade Autônoma Metropolitana do México Ignácio Lopez Morena, da diretora executiva da Qualifica Portugal Ana Soeiro e da representante do Instituto Nacional de Denominações de Origem da França (INAO) Cécile Franchois. 
O prefeito Magno Bollmann destacou a importância da região na produção de bananas e explicou aos visitantes as ações que fortalecem a agricultura no município. “Nossa agricultura é muito valorizada, a produção de banana aqui na região contribui com fortalecimento do agricultor são-bentense, gerando uma nova fonte de renda para a região”, comentou.
O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo Adelino Denk, abordou o quanto o turismo ganha com o processo de indicação geográfica. “O turismo regional ganha muito com isso, pois trata-se de uma ação que valoriza a agricultura e atraí novos turistas para a região, contribuindo com o desenvolvimento econômico de nosso município” finalizou.
Após a reunião, os visitantes foram acompanhados para uma visita em alguns pontos turísticos da cidade. Entre os locais, a Praça Getúlio Vargas e o Museu Natural Ornith Bollmann.

Fotos: Ricardo Baum/Jonei Schritki


Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul    
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154
 

Imagens relacionadas

7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
7º Workshop Catarinense de Indicações Geográficas
Todos os direitos reservados © 2018 Prefeitura de São Bento do Sul