Notícias

Jardim Botânico de São Bento do Sul é oficialmente criado

Data de inclusão: 21/09/2018 15:03

Um marco para o município de São Bento do Sul.

Assim pode ser definido o momento realizado na noite de quinta-feira, quando o prefeito Magno Bollmann assinou o decreto que cria o Jardim Botânico de São Bento do Sul.

O ato ocorreu na Promosul durante o ENIT, e contou com a presença de representantes da administração municipal e das instituições apoiadoras do Jardim Botânico como Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo; Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo; Departamento de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente; Serviço Municipal de Água e Esgoto - SAMAE; Consórcio Intermunicipal Quiriri – CIQ;  Fundação de Ensino Tecnologia e Pesquisa - FETEP; Incubadora Tecnológica de São Bento do Sul - ITFETEP;  Instituto Federal Catarinense – IFC - Campus São Bento do Sul; UNIVILLE - Campus São Bento do Sul; Sociedade Educacional de Santa Catarina – UNISOCIESC - São Bento do Sul; UDESC - Campus São Bento do Sul e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI.

Na ocasião, o prefeito Magno Bollmann assinou o Decreto nº 1050, de 20 de setembro de 2018 que dispõe sobre a criação do Jardim Botânico de São Bento do Sul e dá outras providências.

Sobre o momento histórico, o prefeito destacou que "trata-se de um momento ímpar para a preservação de nossa flora, pois com a criação do jardim botânico teremos condições de atuar com todas as instituições parceiras em ações de estudos e pesquisa para manter a exuberância da natureza de nossa região. É uma imensa alegria e só temos a agradecer pelo engajamento de todas as instituições envolvidas, desde o Consórcio Quiriri representando os municípios de São Bento do Sul, Rio Negrinho, Campo Alegre e Corupá, a todas as instituições de ensino e pesquisa envolvidas, que demonstraram desde nossa primeira reunião para tratar do assunto total apoio para a criação deste espaço", destacou o prefeito Magno Bollmann.

Sobre este momento, a curadora do Jardim botânico de Joinville, um dos mais importantes do estado, Dra. Karin Esemeann Quadros enviou o seguinte comentário:

"Esta é uma notícia maravilhosa: o Jardim Botânico de São Bento do Sul vai existir oficialmente a partir de hoje. Parabéns!!! Que seja o primeiro ato de muitos que contribuirão para a existência do Jardim Botânico de fato. Conta com o apoio da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, já manifestado pelo seu Presidente João Neves Toledo, cujas contribuições ao texto do Decreto foram bem pertinentes. Muito trabalho pela frente, mas valerá a pena. Será o primeiro Jardim Botânico a preservar a Floresta Ombrófila Mista do Estado (Araucárias), com a pretensão de ser um grande Jardim", disse Dra. Karin.

Jardim Botânico

O Jardim Botânico de São Bento do Sul será o primeiro jardim botânico a preservar a floresta ombrófila mista do Estado e será administrado pelo Serviço Municipal de Água e Esgoto - SAMAE, com apoio da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Saúde, Fundação de Ensino Tecnologia e Pesquisa – FETEP, Consórcio Intermunicipal Quiriri – CIQ, Instituto Federal Catarinense – IFC/Campus São Bento do Sul, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC/Campus São Bento do Sul, Sociedade Educacional de Santa Catarina – UNISOCIESC, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI, todos vinculados ao Polo Tecnológico, além da Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE.

Sua área compreende o total de 107.892,35m2 localizados no bairro Centenário, no terreno de propriedade da Fundação de Ensino Tecnologia e Pesquisa – FETEP, declarado de utilidade pública com a publicação do decreto, ocorrido nesta sexta-feira, dia 21.


Objetivos
Expostos no decreto, os objetivos do Jardim Botânico de São Bento do Sul são:

I - a conservação, preservação, resgate e banco genético das espécies do bioma conhecido como Mata Atlântica, principalmente da Floresta Ombrófila Mista e Floresta Ombrófila Densa e seus ambientes tais como os Campos de Altitudes e Banhados;
II - a garantia de espaços para pesquisas, educação ambiental, cultura, lazer e turismo ecológico;
III - a realização, de forma sistemática e organizada, de registros de plantas e documentação, referentes ao acervo vegetal, os quais permanecerão acessíveis junto ao herbário localizado no Museu Natural Entomológico Ornith Bollmann, visando plena utilização para conservação do meio ambiente;
IV - a conservação de plantas, através de bancos de germoplasma "ex situ" e reservas genéticas "in situ", com o objetivo de pesquisa, demonstração e educação ambiental;
V - a proteção, inclusive por meio de tecnologia apropriada de cultivo, espécies silvestres, vulneráveis, raras, ameaçadas pela ação antrópica, especialmente em âmbito local e regional, bem como resguardar espécies econômicas e ecologicamente importantes para a restauração ou reabilitação de ecossistemas;
VI - o intercâmbio científico, técnico e cultural com entidades e órgãos nacionais e estrangeiros;
VII - a capacitação de recursos humanos;
VIII - a educação ambiental, formal e não formal, além de estimular a pesquisa na sociedade científica;
IX - o refúgio e proteção da fauna local.


Justificativas
O decreto apresenta como algumas justificativas para a criação do jardim botânico as seguintes considerações:
Que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações (art. 225 da CF), sendo de competência do Município, em comum com a União e o Estado, proteger o meio ambiente (inciso VI do art. 23 da CF) e preservar as florestas, fauna e flora (inciso VII do art. 23 da CF).

E ainda a importância do papel desempenhado pelos jardins botânicos na conservação da biodiversidade brasileira; a necessidade de incrementar a existência de jardins botânicos na Região Sul, visando fomentar a estratégia de conservação das espécies da flora do bioma Mata Atlântica; 

A importância de documentar as plantas vivas, ou de herbário, e manter coleções de referência taxonômica e coleções-testemunho e acesso a táxons provenientes de programas de conservação; 

A necessidade de elaboração de diagnóstico das coleções para manter a catalogação física e divulgar o acervo em meio digital das coleções ex situ e in situ; a proteção de espécies vegetais nativas em seu habitat: campo, banhado, aquático, florestas e afins; 

A contribuição para a conservação e a geração de conhecimento na preservação de ecossistemas inclusos nas Unidades de Conservação, tais como APA Bacia Hidrográfica do Rio Vermelho/Humbold, APA do Alto Rio Turvo, APA da Bacia Hidrográfica do Rio dos Bugres, APA Represa do Alto Rio Preto, APA dos Campos do Quiriri e afins; 

A necessidade de conhecimento para a manutenção e produção de espécies nativas, no auxílio de manejo sustentável para uso do potencial econômico, seja para o uso medicinal, florestal, ornamental ou alimentar, oportunizando condições de renda para a comunidade rural ou no entorno do Jardim Botânico pelo uso que a floresta pode fornecer; 

A possibilidade de incorporação e plano de manejo do Jardim Botânico junto ao polo tecnológico e de pesquisa, conglomerando entidades privadas, poder público e sociedade civil organizada para administrar um sistema de gestão ambiental sustentável;

E o compartilhamento de trabalho e fortalecimento do conhecimento, com o intercâmbio técnico e científico com a Rede Brasileira de Jardins Botânicos, com o intuito de promover estratégias de aperfeiçoamento dos espaços para a conservação, cultura, lazer, pesquisa e educação ambiental.

Jardins Botânicos pelo Estado
No Estado de Santa Catarina existem somente três jardins botânicos criados, sendo o de São Bento do Sul o quarto a ser criado no estado.
Os jardins existentes são:
Jardim Botânico da UNIVILLE – Universidade da Região de Joinville-SC, criado em 19 de abril de 2007, em área de 19.160m².
Jardim Botânico de São José, inaugurado em 14 de agosto de 2015 com 160 mil m2 de mata atlântica preservada.
Jardim Botânico de Florianópolis, criado como parque em uma área urbana do Itacorubi com espaço de 190 mil m2 em 24 de setembro de 2016 e decretado Jardim Botânico de Florianópolis em 24 de setembro de 2017.

Primeiro passo
Tudo iniciou em 9 de agosto de 2017 quando a primeira semente para a criação do Jardim Botânico de São Bento do Sul foi semeada.

Na ocasião, o prefeito Magno Bollmann esteve reunido com o sr. Osmar Muhlbauer, Presidente da Fundação de Ensino Tecnologia e Pesquisa - FETEP; Osvalmir Tschoeke, gerente da Incubadora Tecnológica de São Bento do Sul; Samuel Henrique Werlich, diretor-geral do Instituto Federal Catarinense – IFC - Campus São Bento do Sul; Gean Cardoso de Medeiros, diretor da Univille - Campus São Bento do Sul; Dra. Karin Esemeann Quadros, representante do Jardim Botânico da Univille; Claudinei José Cristofolini, representante da Sociedade Educacional de Santa Catarina - Unisociesc; Agnaldo Valderlei Arnold, diretor administrativo da Udesc - Campus São Bento do Sul; Luiz Claudio Gayer Schuves, Secretário de Planejamento e Urbanismo; Adelino Denk, Secretário de Desenvolvimento e Turismo; Marcelo Hübel, Diretor de Meio Ambiente e Joberth Krause, assessor de comunicação da prefeitura de São Bento do Sul.

Durante a reunião foram discutidos temas relativos à criação do Jardim Botânico de São Bento do Sul como: definição da personalidade jurídica para criação do jardim botânico, área do jardim botânico; plano de uso e ocupação; participação das instituições na constituição do jardim botânico, e demais itens para futuras discussões. 

Próximos passos
De acordo com o biólogo e diretor do Departamento de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Marcelo Hübel, o decreto define a necessidade do “Regimento Interno” que será construído com todas as pessoas que já participaram deste processo de criação do Jardim Botânico, e assim será definida a gestão participativa. Também já está sendo realizado pela AMUNESC o projeto para três construções no formato enxaimel para abrigar o “Memorial do Pagamento por Serviço Ambiental”, o “Memorial do Consórcio Intermunicipal Quiriri” e as instalações da “Farmácia Viva”. Mas o grupo de trabalho já manifestou muitas sugestões e intenções de colaboração. Também neste início de trabalho faremos as formalizações necessárias para uso da biblioteca, sala e restaurante no IFC, e a entrada no coração do Polo Tecnológico. É preciso estar junto da Rede Brasileira de Jardins Botânicos e fomentar o propósito da pesquisa, conservação e preservação do meio ambiente, da educação ambiental, da saúde, da cultura e do lazer", explicou Marcelo. 

Joberth Krause – MTB 4280SC
Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154 | 6361.6148

Imagens relacionadas

Jardim Botânico de São Bento do Sul é oficialmente criado
Jardim Botânico de São Bento do Sul é oficialmente criado
Todos os direitos reservados © 2019 Prefeitura de São Bento do Sul