Notícias

Dezenas de projetos são realizados e promovem a racionalização de recursos públicos

Data de inclusão: 09/10/2018 16:00

Desde o mês de fevereiro a Secretaria de Educação, com o apoio da Secretaria de Planejamento e Urbanismo, que destinou dois profissionais ao setor de projetos da Educação, vem trabalhando em um grande levantamento para elaboração dos projetos preventivos contra incêndio e dos projetos de acessibilidade que contemplarão todas as unidades educacionais do município.

Os trabalhos iniciaram com um levantamento de todos os projetos cadastrados junto ao Corpo de Bombeiros, onde o Engenheiro Civil Marcelo Laynes Milla, da secretaria de Educação, buscou os projetos preventivos contra incêndio para verificar em cada uma das 50 unidades educacionais a situação atual de cada caso.

Quanto aos projetos de acessibilidade dos prédios das unidades escolares, todo o levantamento e elaboração dos projetos ficou a cargo da arquiteta e urbanista Chiara Mariele Gurgacz Destro, arquiteta da Secretaria de Planejamento e Urbanismo que foi cedida para a Secretaria de Educação exclusivamente para elaboração de todos estes projetos.

Na equipe, além do engenheiro Marcelo e da arquiteta e urbanista Chiara, estão o desenhista Felipe Rebello, também cedido pela Secretaria de Planejamento e Urbanismo,  e o estagiário acadêmico de arquitetura Gustavo Fragozo.

A secretária de Educação Rosemari Strack Cândido fez questão de registrar que essa é a primeira vez que a Educação conta com uma equipe especializada para a realização deste trabalho. “É um levantamento de grandes proporções que nos apresentará a realidade de todos os prédios de unidades escolares do município. Esta é uma situação inédita. Teremos todos os projetos necessários exigidos pelo Corpo de Bombeiros e também teremos o grande desafio de buscarmos recursos para a execução destes projetos", disse Rosemari, que registrou ainda o apoio da Secretaria de Planejamento e Urbanismo ao ceder dois profissionais para a realização dos trabalhos e a grande economia aos cofres públicos ao se realizar todos os projetos internamente no setor.

Sistema de Combate e Prevenção a Incêndio

Após iniciar o levantamento junto ao Corpo de Bombeiros durante o mês de março, quando se achava que seriam necessários somente os projetos preventivos de combate a incêndio, o engenheiro Marcelo Laynes Milla verificou que seriam necessários também projetos arquitetônicos, projetos de mapas de rotas de fugas, e projetos de locação de prontos elétricos.
Conforme explicou Marcelo, os projetos arquitetônicos englobam toda estrutura física da unidade escolar, incluindo toda e qualquer modificação na estrutura, como uma abertura de janela ou uma simples divisória. Assim, verificou-se a necessidade de elaboração e encaminhamento de 42 projetos, total este que já foi elaborado e encaminhado ao Corpo de Bombeiros.
Quanto aos projetos de locação de pontos elétricos, das 50 unidades, em somente 9 ainda não foi executado o projeto que contempla a instalação de luminárias de emergência, placas luminosas indicativas de saída, circuito independente de energia com disjuntores apropriados.
“O prazo determinado pelo Corpo de Bombeiros para execução de todos os projetos de locação de pontos elétricos encerrará em 18 de novembro, e como estamos trabalhando com 3 equipes de eletricistas, estaremos concluindo a execução de todos os projetos antes mesmo do prazo determinado”, disse Marcelo. Somente com mão de obra para execução destes projetos, a Secretaria de Educação está investindo mais de R$ 89 mil.
Já em relação aos projetos preventivos contra incêndio, todas as 51 unidades escolares do município necessitariam de adequações ou novos projetos. O que distingue os projetos é a área construída de cada unidade, pois existem exigências para as áreas maiores e com maior concentração de público. 

Em todos os projetos o que está sendo contemplado são:

Sistemas vitais: Com luminárias de emergência, sinalização de abandono do local, sistema preventivo por extintores, mapa de rota de fuga em cada sala de aula e brigada de incêndio (um profissional em cada unidade escolar).
Nas unidades com estrutura física a partir de 750 metros quadrados de área construída torna-se obrigatório também o sistema pleno SHP - Sistema Hidráulico Preventivo, com a utilização de hidrantes.
E para as unidades escolares que possuírem a partir de 1500 metros quadrados de área construída, torna-se obrigatório também a implantação de sistema de alarme e sistema de pára-raios.

Racionalização de recursos
"Estamos trabalhando na elaboração de todos estes projetos, e o fato de nossa equipe mesmo elaborá-los nos oportuniza economizar recursos públicos, pois somente a contratação destes projetos ultrapassaria a cifra de R$ 200 mil. Além disso, também nos oportuniza racionalizar recursos públicos, pois como conhecemos a realidade de cada unidade e suas características, sabemos exatamente o que é necessário instalar em cada prédio de acordo com as normas, evitando assim que o projeto exija detalhes desnecessários que poderiam implicar em maior custo de manutenção no futuro", explicou Marcelo.
Felipe Chiara citou um exemplo prático de um projeto contratado no passado, onde foram inseridos 6 extintores para a referida unidade escolar, porém, observando posteriormente a unidade e suas características, e as normas vigentes, a exigência seria de somente 2 extintores, o que implica em menor custo de manutenção no futuro.
Tal projeto, que havia sido encaminhado ao Corpo de Bombeiros, está sendo refeito nestes novos trabalhos para corrigir estes detalhes.

Projetos e prazos

Quanto aos projetos já elaborados, a equipe já realizou 13 projetos, e destes, 8 já foram aprovados pelo Corpo de Bombeiros e os outros 5 encontram-se em análise.
No que se refere aos prazos para encaminhamento de todos os 50 projetos, Marcelo comentou que na semana passada durante reunião entre Administração Municipal e Corpo de Bombeiros determinou-se o mês de dezembro do ano de 2020 como prazo para aprovação de todos os projetos preventivos contra incêndio.
Mas este é o prazo somente para aprovação dos projetos que estão sendo elaborados pela equipe. Quanto a execução de todas estas obras, não há prazos estabelecidos pois tudo dependerá da obtenção de recursos.
Outro detalhe que chamará atenção após as obras realizadas nas unidades escolares é o fato de que, por exigência do Corpo de Bombeiros, exercícios simulados deverão ser realizados ao menos duas vezes por ano nas unidades.

Acessibilidade

A arquiteta e urbanista Chiara Mariele Gurgacz Destro juntamente com o estagiário acadêmico de arquitetura Gustavo Fragozo trabalham na realização dos projetos de acessibilidade das unidades escolares.
Conforme explicou Chiara, o desafio é grande, pois cada unidade deve ser avaliada in loco para que todos os detalhes de acessibilidade necessários sejam previstos no projeto.
"O volume de trabalho é realmente imenso, pois são 51 unidades de ensino, e todo o trabalho de avaliação, medições e anotações necessários para a elaboração de cada projeto é verificado minuciosamente. É um trabalho considerado de longo prazo", comentou Chiara.
A arquiteta e urbanista explicou que um projeto de acessibilidade que deve ser adaptado a uma estrutura  já existente demanda mais trabalho, pois o desafio de fazer cumprir a legislação e adequar a estrutura física de acordo com o que é exigido requer estudo e muito trabalho. "Adequar o que é necessário e obrigatório às estruturas construídas não pensadas para determinadas situações é o grande desafio destes projetos", concluiu Chiara.


Joberth Krause – MTB 4280SC
Assessoria de Imprensa
Prefeitura de São Bento do Sul
Contatos: imprensa@saobentodosul.sc.gov.br | 3631.6132 | 3631.6114 | 3631.6154 | 6361.6148
 

Imagens relacionadas

Dezenas de projetos são realizados e promovem a racionalização de recursos públicos
Dezenas de projetos são realizados e promovem a racionalização de recursos públicos
Todos os direitos reservados © 2018 Prefeitura de São Bento do Sul